jump to navigation

Manifesto

20081028094653
Ser mulher é fácil, o difícil é ser mulherzinha. Não no sentido pejorativo da palavra, que uma mulher usa para falar da outra, mas no sentido bom, aquele cheio de orgulho e motivação. Ser mulherzinha é mais do que ser mulher porque exige mais trabalho: mulherzinhas não se contentam com pouco, com o mediano; suas vidas precisam ser incríveis para que seja possível viver.

Nós não aceitamos apenas ser inteligentes, nós queremos ser bonitas também. (Aquele papo de que mulher bonita não é inteligente e que mulher inteligente que dispensa a beleza deve ter sido criado por uma mulher com muita feiúra e pouco amor próprio; o que não existe em uma de nós)

Choramos em filmes de amor, músicas no rádio do carro/mp3/walkman ou lendo jornais diários, mas em um segundo podemos nos recompor e dar ordens a um exército: somos eficientes e sabemos dividir os momentos.
Queremos amor, mas respeitamos nossas crenças. Aparamos arestas, mas limitamos isso a um ponto médio: nunca deixamos de ser nós mesmas e jamais traímos nossa verdade. Temos liberdade sexual e sabemos como usá-la. Conhecemos nosso corpo e respeitamos os limites dele. Não afunilamos nossas opções, temos a mente aberta e nada nos assusta.

Somos profissionais sérias, dedicadas e competentes. Gostamos do que fazemos e temos prazer em nosso trabalho. Não somos workaholics, sabemos que a vida nos oferece muito mais do que só trabalho.

Fazemos compras, mas não nos endividamos. (Só em algumas ocasiões especiais)
Sabemos cozinhar, mas não vemos problema em pedir comida por telefone ou pela internet quando estamos com preguiça.
Somos eternas garotas. Rimos, nos divertimos e não sentimos culpa por isso.

Somos cultas, nunca prepotentes.
Somos divertidas, nunca banais.
Somos orgulhosas, nunca esnobes.

Temos amigas que queremos por perto, mas não somos dependentes.
Somos seguras, mas nos permitimos sentir insegurança quando achamos que vale a pena.
Erramos e assumimos nossos erros: sabemos pedir desculpas, mas não nos desculpamos apenas por obrigação.

Temos fé, lemos horóscopo e jogamos tarot, mas acreditamos, acima de tudo, em nós mesmas.
Fazemos escolhas e nos arrependemos. Mudamos de caminho de cabeça erguida.
Somos racionais e passionais, só depende da hora ou do dia.

Nos amamos, nos respeitamos e não gostamos de ser contrariadas, mas nada disso nos obriga a usar tons altos e agudos.
Somos felizes. Temos problemas, desafios e dias péssimos, mas não nos abatemos: somos mulherzinhas!

Não temos vergonha de dizer que somos assim e acreditamos nisso tudo, que pode parecer uma grande besteira. Somos mulherzinhas. E você, já assumiu que também é?

Anúncios

Comentários»

1. Débora - 21/01/2009

Meu, eu sou fã desse teu manifesto!
Fã! Fã!
É muito incrível, adoro!
Toda vez que eu leio, fico entusiasmada com ele!
beijos!

2. Amanda - 16/06/2010

Adoreiiiiiiii, mulherzinhaaaa!!! uhuhuhu..
Compartilho de todas as suas palavras!!!
Beijo grande à todas nós mulherezinhas!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: