jump to navigation

Muito além da rebeldia 03/07/2009

Posted by Carol Patrocinio in Bookmarks.
Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
2 comments

Qual adolescente não passa por uma fase de rebeldia, nem que isso seja cortar o cabelo sozinho ou pintar as unhas de preto? O problema é que essa fase rebelde de Cyd Charisse – sim, o nome dela deve ter influenciado nesse gênio difícil – tem durado muito mais do que devia; a garota até conseguiu ser expulsa de um colégio interno…

Ao voltar a morar com a mãe, o padrasto e os irmãos em São Francisco. Cyd estava ocupando seu tempo estudando numa escola alternativa, que ela dizia ser uma desculpa para filhos de gente rica ter o que fazer além de dar trabalho, e o serviço comunitário num asilo. Foi nesse lar para idosos em que Cyd conheceu Pão-Doce, sua melhor amiga e confidente, mesmo que os anos entre a idade das duas somem mais do que a idade da garota rebelde.

O serviço comunitário não deu apenas uma melhor amiga à Cyd, mas também uma paixão. Foi lá que ela conheceu o amor da sua vida – até o momento -, o cara mais legal do mundo – segundo ela -, o Siri, um surfista gatinho que a faz suspirar. E além de suspirar, a faz ter coragem de dormir fora de casa e voltar na manhã seguinte, na maior cara de pau. Adivinha se isso não daria problema?

E o problema foi resolvido mandando Cyd Charisse para Nova York. Não, ela não foi sozinha para a cidade mais legal do mundo todo… Ela foi encontrar o pai que ela viu uma única vez na vida. E o dia em que ela conheceu o pai não sai de sua cabeça, já que foi o mesmo dia em que ele deu a ela a Pão-de-mel, a boneca e companheira de Cyd.

Conforme foi crescendo, Cyd Charisse começou a pesquisar sobre a vida do pai e até falou uma vez com ele ao telefone porque precisava de grana pra sair de uma enrascada! Durante as pesquisas ela descobriu que tinha uma irmã e um irmão. Ela sonhou muito tempo com a possibilidade de conhecê-los e conviver com sua outra família. Essa hora chegou e não vai ser exatamente como ela havia imaginado…

Pão-de-mel é o primeiro livro de Rachel Cohn e já é ótimo, imagina como será Siri, o seguinte dela? Esse livro vai além de uma história bonitinha de amor, é muito mais profundo e mexe de verdade com a gente. Vale totalmente a pena esquecer do mundo e lê-lo.

* Texto publicado originalmente na coluna Bookmarks do iG Jovem.

Anúncios